Visitando Ballarat


Ballarat_14

Depois de um ano de considerável correria, ambos estudando bastante e trabalhando mais ainda, decidimos desacelerar um pouco. De que adianta trabalharmos tanto e não aproveitarmos ao máximo a oportunidade de viver na cidade com melhor qualidade de vida do mundo? Desde então temos tentado planejar mais os fins de semana de modo que consigamos conciliar trabalho, estudo e lazer.

Nos dois últimos meses rodamos um pouco pelas cidades vizinhas. Foram viagens curtas, mas todas bastante agradáveis. E é sobre esses lugares que quero começar a contar.

Vou começar por Ballarat. Nossa passagem pela terra do ouro foi curta, mas valeu a pena. Fomos num fim de semana, apenas o Pedro e eu, com o objetivo de visitar um local chamado Sovereign Hill e também o museu do ouro (Gold Museum). Ballarat é famosa em toda a Australia por ter abrigado muito ouro em tempos passados. Resumindo, em 1851 o tal metal precioso foi descoberto na região. A notícia se espalhou rapidamente e em menos de um ano mais de 20 mil imigrantes mudaram-se para o local para explorar a nova descoberta. É claro que nessa busca desenfreada muitos conflitos ocorreram e muita corrupção também. A partir do século 20, o ouro foi ficando cada vez mais escasso e, hoje em dia, a economia da cidade conta ainda com algumas empresas de mineração, mas em menor escala.

Pois bem, nossa parada principal em Ballarat foi em Sovereign Hill, um parque que recria os primeiros dez anos da cidade de Ballarat após o ouro ter sido descoberto na região, ou seja, meio do século 19 (1851).  De cara, já me apaixonei pelo lugar. Quem me conhece bem sabe o quanto amo essas coisas antigas, então aquela vilazinha (ainda que falsa) remontando o século retrasado me encantou.

Em Sovereign Hill você realmente se sente vivendo em um outro século. As casas, lojas, minas, acampamentos, hotel e até a igreja presentes na vila foram minuciosamente construídos e decorados para dar essa impressão. Mas o mais interessante são as atrações. Apesar da vila ser falsa,  os artistas estão o tempo todo trabalhando de verdade, o padeiro está realmente fazendo pão, o mecânico consertando carruagens e a costureira cortando pano. Logo, há muito pra se ver. Passamos um dia inteiro lá e não conseguimos aproveitar tudo. Então, se tivesse que escolher as melhores atrações, diria que você não pode deixar de assistir a apresentação em que um cara derrete e remodela uma barra de ouro de $100 mil dólares a pouquíssimos metros da plateia. Fiquei impressionada com o quanto é lindo o ouro derretido e o quanto é perigosamente quente também. Outra atração fofa é a fabricação de balas de açúcar, que era muito comum nesse tempo. Ver aqueles dois senhores produzindo as balas com tanta maestria e delicadeza me fez até ter vontade de virar baleira. A fabricação de rodas e a visita guiada à duas minas também são imperdíveis. Devo confessar que senti um pouco de pânico quando começamos a descer todos aqueles degrais pra debaixo da terra. Mas consegui ir até o final do passeio. Por fim,  super vale a pena o tour aonde um senhor, também vestido à carater, mostra os acampamentos dos primeiros migrantes, conta um resumo da história da cidade e ensina o modo certo de se usar a peneira para encontrar ouro.

Ah, cortando a vila há um riacho aonde vários dos visitantes passam o dia procurando uma lasquinha de ouro. E o melhor é que muitos acham! Claro que são lasquinhas tão minúsculas que não valem praticamente nada. Mas só a felicidade de achar uma delas já vale o trabalho. E é claro que Pedro e eu conseguimos achar nossos pedaCInhos de ouro. =D

Por fim, muitas das coisas que são feitas na vila, são também comercializadas lá, como as velas artesanais, panelas diversas de ferro fundido e também de cobre, jóias, roupas de época e até cartões postais. Eu babei nas coisas de cozinha, mas como na minha casa praticamente não cabe mais nada, deixei pra lá.

Acho que já falei demais, né?! Vou ser breve! O outro passeio em Ballarat foi ao Gold Museum, aonde pudemos saber mais sobre a história da cidade e ver de perto incríveis coleções de pepitas, artefatos e moedas de ouro. Mas informações sobre o museu pode ser encontradas nesse link.

Em tempo, o Gold  Musem fica bem em frente ao Sovereign Hill e super vale a pena visitar ambos. Se quiser ir aos dois no mesmo dia,  chegue bem cedo! =D

 

Como sempre, para ver as fotos abaixo em um tamanho maior, é só clicar sobre eles!

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s